Atendimento: 9:00-22:00 Seg-Sex
Chame no Whatsapp +55 (66) 9 9931-8338

Otoplastia

Otoplastia

Também conhecida como otoplastia, a cirurgia plástica da orelha engloba diversos procedimentos direcionados ao tratamento de: ausência parcial ou total dos tecidos locais, colamento do pavilhão à porção lateral da cabeça, dobra anormal da cartilagem, orelhas proeminentes, popularmente conhecidas como “orelhas em abano“, além de sequelas de traumas ou infecções locais.

No entanto, é importante ressaltar que a cirurgia não anula os efeitos da gravidade ou o processo de envelhecimento natural, que levam à frouxidão e consequente queda gradativa dos tecidos. Quanto mais grave a anormalidade, mais difícil será alcançar resultados ótimos. Assimetrias e pequenas imperfeições podem aparecer durante o pós-operatório.

Quem pode operar

Crianças maiores de 5 anos de idade saudáveis (preferencialmente após os sete anos, quando o desenvolvimento auricular atinge seu ápice); adultos jovens saudáveis (com o envelhecimento, as cartilagens se calcificam e enrijecem, dificultando sua mobilização), e sem expectativas irreais quanto aos resultados.

Como é a recuperação

Após a cirurgia, o local operado fica sensível, dolorido, avermelhado. Pode ocorrer eliminação de pequeno volume de líquido pela ferida ou formação de crostas (“casquinhas”), sensação de “repuxo”, dormência e algum inchaço.

Cuidados necessários

Evite atividades físicas que forcem o local operado, realize as trocas de curativo conforme as recomendações e faça uso das medicações prescritas corretamente. A cicatrização é um processo complexo e cheio de peculiaridades dependentes da natureza de cada um.

Como são os resultados

Apesar de todos os cuidados competentes ao cirurgião, algumas vezes os resultados finais obtidos ficam abaixo do esperado. Converse com seu cirurgião e esclareça dúvidas, evitando frustrações e buscando possíveis alternativas para os resultados insatisfatórios.

Todo e qualquer procedimento cirúrgico envolve riscos. Eles podem ser minimizados por uma correta avaliação pré-operatória, planejamento cirúrgico e cuidados pós-operatórios adequados. Entre as possíveis intercorrências e complicações estão:

1. Possibilidade de sangramento com hematoma (acúmulo de sangue internamente);
2. Risco de infecção, mesmo que pequeno;
3. Alterações dos enxertos da cartilagem ou da pele;
4. Cicatrização ruim, com hipertrofia, quelóide, retrações, alterações de cor;
5. Alterações de sensibilidade, temporária ou permanente;
6. Assimetrias e pequenas imperfeições;
7. Reação, alergia ou rejeição aos produtos utilizados (fios de sutura, fitas, soluções injetáveis);
8. Complicações relacionadas ao ato anestésico;
9. Necessidade de um novo procedimento cirúrgico para retoque.